domingo, 20 de junho de 2010

Carioquinha vai até dia 30 de junho


Pra quem é carioca e quer se sentir turista na própria cidade, uma boa opção é o programa Carioquinha.
Inúmeros programas turísticos da nossa Cidade Maravilhosa estão com ingressos em baixa pra quem apresentar um comprovante de residência.

Aqui nesta lista você pode encontrar como aproveitar esta vantagem: http://www.carioquinha.com.br/site/pontos.asp

O programa se estende até o dia 30 de junho.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Sana


Finalmente saiu a viagem pro Sana!

O Sana é distrito de Macaé - RJ.Fica do lado de Casimiro de Abreu e de Rio das Ostras e é um oásis de cachoeiras e mata verde.

Existem inúmeros campings no Sana.Meu irmão ficou no Jatobá, dirigido pela simpatissíssima Leinha e com ótima infra-estrutura e boa localização.

Na frente do Jatobá, fica a Pousada Flor da Manhã, que,como a Pousada Sanadum, eu recomendo, por serem boas e baratas.

Geralmente eu resolvo tudo pela internet e pelo telefone quando fico no Sana.O site Portal do Sana sempre me quebra um galho nessas horas.

A passagem fica por conta da empresa 1001, saindo da Rodoviária Novo Rio, no Rio de Janeiro e fica em torno de R$ 25,00.



Dom Luís, no evento "Arraiá do Sana" e sua filha, Vitória da Glória. (reggae)


Eventos de capoeira, yoga, alongamento também aconteceram enquato estávamos lá. (julho 2009)


Rio Sana





"Escorrega"




video




Fotos tiradas por mim e pelo Nouveau @icnunes

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Paraty



Pequena cidade histórica no Litoral Sul do estado Rio de Janeiro, Paraty é belíssima de arrancar suspiros, tem o melhor artesanato, muita cultura e é a sede da Feira Internacional de Literatura.

Mais motivos pra ir não precisa, não é mesmo?

Sendo assim, Adriana, Fernanda e Janaína partiram nessa viagem.

Chegamos na Rodoviária e conseguimos pegar um ônibus clandestino, porque a última passagem tinha sido vendida ás 21h.

Fomos deixadas em um ponto em Angra dos Reis, depois de três horas de viagem. Lá, conseguimos pegar outro õnibus que nos deixou em Paraty.

Chegamos tarde da noite pra aí então, descobrir que tínhamos esquecido o endereço do hostel que eu tinha reservado pra sexta-sábado-domingo no Rio!!!

Ligamos pra irmã da Adriana que graças a Deus, nos deu o endereço, em uma ligação horrível.

Quando chegamos no Hostel Dom Quixote, descobrimos que o cara tinha reservado pra gente os dias de sábado, domingo e SEGUNDA! Rodei a baiana com o dono do hostel pelo telefone, que nem estava lá aquela hora. Argumentei com ele que nunca teríamos feito aquele tipo de reserva, pois todas trabalhávamos na segunda.

De qualquer forma, o cara tinha que arranjar estadia pra gente.Não teve jeito, os quartos estavam todos tomados e o nosso só vagaria no sábado ás dez da manhã.

O rapaz que atendia ainda permitiu que tomássemos um banho, recomendou que ficássemos no hotel em frente, mas sairia muito caro pro nosso orçamento.

Decidimos deixar nossas coisas no hostel e sair pela cidade pra curtir a noite.

Rodamos por bares, restaurantes, conhecemos o Centro Histórico quase todo ás escuras.Terminamos amanhecendo o dia andando perdidas pelas ruas, com os locais apontando a gente com o dedo.

Certo que o cara quebrou o trato e quando viu uns gringos oferecendo grana alta pra ficar uma noite só, cedeu o nosso quarto. Tanto que, enquanto dormíamos na sala de internet, pasmem vocês, o quarto liberou, ali pelas oito horas da manhã.

Dormimos um pouco e saímos pela cidade de novo. Voltamos só no fim da tarde, visitando todo o Centro Histórico. Como não tínhamos meios de locomoção, não conhecíamos ninguém e lugar nenhum, não exploramos tanto quanto poderíamos ou queríamos.

Na noite anterior, conhecemos um rapaz que trabalhava em um belo restaurante e que disse ter uma casa pra alugar, especialmente pra epoca da FLIP.Fomos conhecer a casa e adoramos, por mais humilde e suja que estivesse.Serviria pra acomodar todos os nossos amigos e mais e o preço que o cara pedia era atraente.

Pra quebrar qualquer mandinga, na hora da saída, Adriana não viu o degrau e caiu o tombo mais espetaculoso da viagem inteira!O cara juntando a menina do chão, que quase chorou porque quebrou os óculos de sol formam uma imagem indelével na minha cabeça até hoje.

Marcamos também uma viagem de barco pro di seguinte.O cara nos cobrou estrondosos 180,00 reais, mas fomos contentes porque foi o mais barato que conseguimos.E foi uma delícia, mesmo o sol tendo cooperado pouco. Entrar na água com aquele monte de peixes á nossa volta e ver Janaína dando piti porque eles estavam super perto, mas implorando pelo óculos pra poder ve-los também ainda me faz rir.

Aliás, eram três mulheres e um óculos.Três mulheres doidas e um óculos.Não saaiu briga porque os peixes é que pareciam muito excitados em nos ver então, deixamos o show pra eles.

À noite, decidimos ir à Trindade.Na rua principal, sem muita coisa pra ver.Estávamos cansadas mas queríamos conhecer as praias.Fomos a um reggae na Praia do Meio e ali perto ainda rolava um private.

Fizemos amizade com um bando de pessoas simplismente porque paramos no meio de uma estrada escura pra olhar um céu repleto de estrelas e uma lua com uma auréola maravilhosa, que aparentemnete ninguem via mas só a gente.Colocamos umas vinte pessoas pra olhar pro alto, embevecidas e se perguntando porque aquilo acontecia.,

Dei uma explicação estapafúrdia que todo mundo tomou como verdade e eu tomei como elixir de riso.

Um carioca que nos deu atenção nos acompanhou aé o reggae e lá ficamos conversando.Ele fazia Direio também, mas eu acompanhada de uma aluna de Letras e outra de Publicidade, nem queria saber daquilo.O cara saiu fora logo depois.

Isso aconteceu depois que as três malucas perderam o último ônibus de volta a Paraty (municipal), que sai ás 23h, olhando bijuterias na feirinha!Ficamos com uma raiva absurda de nós mesmas mas agora só os restava morrer de sono.

Não tínhamos pique pra festa, então decidimos ir pro boteco sentar em uma mesa pra dormir um pouco.E ai foi que todos os paulistas habitantes do local resolveram tentar nos acordar.E daí vem a nossa ojeriza momentãnea de paulistas que nos perseguiu noite afora e manhã adentro.

De manhã, fomos ao ponto de õnibus, que demorou horrores. O ônibus foi lotado pra Paraty, com o que sobrou dos humanos que frequentaram a private e o reggae.

Quando fomos bater em retirada, o atendente do hostel veio nos falar que como tínhamos ficado um dia fora do pacote (por erro deles), deveríamos pagar outra diária.

E foi aí que nós metemos o pé e terminou nossa aventura pra Paraty.

Curtiu?

Da próxima, nada de hostel, fikdik.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Hotéis no Rio de Janeiro


Minha alma canta
Vejo o Rio de Janeiro
Estou morrendo de saudades"


Sempre que o avião se aproxima de casa, escuto essa música no rádio mental.

E só depois que a @camillaconde me pediu dicas de hotéis baratos no Rio é que me dei conta de que "Opa!Eu moro numa baita cidade turística!"

Deve existir uma profusão de sites com dicas de turismo aqui mas de qualquer forma, penso em colocar algumas minhas eventualmente.

Por ora, atendo o pedido da Camilinha!

Encontrei dois hotéis legais próximos à Lapa e a um pulo do metrô, o que facilita pra quem quiser curtir uma noite de sexta ou se aventurar pela Zona Sul (Flamengo, Botafogo, Copacabana) no fim de semana.

O Itajubá Hotel tem diárias para solteiro de R$120.00 de segunda à quinta e de R$ 102,00 de sexta à domingo, com café da manhã incluso.O hotel conta com serviços de guarda-valores e lavanderia e os apartamentos tem TV a cores, banheiro, ar-condicionado e telefone.

É um pouco mais simplezinho, mas muito charmoso.

Já o Windsor Asturias, próximo dali tem mais atrativos e por isso, é um pouco mais caro.Conta com piscina, sala de ginástica, bar e restaurante a serviço do hóspede.Mas daí eu penso: quem vai ir à sala de ginástica quando está em férias?Só alguém muito fit mesmo...rsrs.

Os apartamentos tem ar-condicionado central,TV à cabo, frigobar e telefone.

As diárias single:

Standard => R$ 187,00
Superior (um pouco maior que o anterior e melhor vista) => R$ 205,00
Superior Executivo (maior ainda, melhor vista e com hidromassagem) => R$ 225,00

Todos as diárias tem taxa de serviço de 15% sobre a diária.

Tem internet wireless e à cabo.Por minuto, R$ 0,16 e por dia, R$ 25,00, ambas com taxa de serviço de 5%.

Os valores da diária podem ser negociados em caso de reserva antecipada.

Achei os valores das diárias razoáveis.

Contatos:

Itajubá Hotel

Rua Álvaro Alvim,23
Cinelândia
PABX:(21) 2212-0011
FAX: (21) 2240-0188

Central de Reservas; (21) 2210-3163/ 2220-0188
http://www.itajubahotel.com.br
E-mail:itahotel@openlink.com.br

Windsor Asturias

Rua Senador Dantas, 14, Cinelândia
Tel: (21) 2195-1500
FAX: (21) 2195-1515
Falar com Bárbara
http://www.windsorhoteis.com
Email: reservas.asturias@windsorhoteis.com.br

Mas turistas, cuidado com a região nos fins de semana.Como é meio centro financeiro por ali, fica cheio durante a semana mas é vazio nos findis.Atenção ao sair com câmeras fotográficas e objetos de valor, não os deixem à mostra.

A Cidade é Maravilhosa, mas malandro ainda é gatuno.

O Retorno

08 de maio

O ônibus que vai a Campo Grande sairia ás 11:00 e está atrasado.
Não consigo ligar pra casa, mandar SMS, tuitar.
Meu primo, que está de folga do seu trabalho, se oferece pra nos levar á capital, que fica á 130km dali.
Pedi reembolso das passagens, dei o dinheiro a ele pra colocar gasolina e lá fomos nós.
Paramos em um posto de gasolina pro almoço.
Quando fui pagar, no caixa do posto, fora do restaurante, dois policiais que dali saíam me gritaram;
-E daí, guria?
Meio ressabiada, passei direto. Ouvi eles dizendo “ih, não é ela, não...”.
Fiquei rindo deles. Devem ter pensado que eu era alguma conhecida. Os males de ter um rostinho comum rsrsrs.
Ainda falei pro pessoal “devo lembrar alguma puta de beira de estrada que eles vivem prendendo, por isso, as intimidades.” =P

Remarcamos o vôo, pois nossa partida se daria em Cuiabá, no domingo.
Esse capricho nos custou R$ 305,00 a mais além da taxa de R$ 30,00.
Aos fins de semana a procura por voos aumenta e os preços também, no entanto, a diferença a se pagar seria de R$ 247,80 se viajássemos no sábado, R$ 68,oo de diferença. =/
Até pensamos em ficar mais um dia e conhecer Campo Grande, porque do pouco que eu vi, a capital do MS é mais bonita que Cuiabá, mais organizada também. Mas o que gastaríamos com táxi e hospedagem não valeria a pena ficar. Pegamos o voo pra sexta mesmo.
Ficamos sabendo que a Webjet vai passar a trabalhar com milhagem a partir do ano que vem, o que é muito bom, pois as aeronaves estão cada vez melhores e as tarifas aéreas estão mais baratas que as da concorrẽncia.
Mas estou ansiosa pra ver as tarifas da Azul também e claro, pra viajar de novo! 0/

Fogo de Chão

Á noite, me peguei sentada na humilde casinha da Chácara Santa Helena, nome dado pelo meu primo em homenagem a sua mãe, que já faleceu, descascando pinhões, ouvindo música sertaneja, bebendo cerveja, enquanto minha mãe, meu tio e meu primo conversavam lá fora, bebendo e assando uma costela em fogo de chão.
A noite era clara da lua cheia e pintalgado de estrelas o céu.
Sem o conforto excessivo da casa de meu tio em Campo Novo, sem acesso á internet, mas contando e ouvindo histórias, rindo, conversando.
E só então, depois de dias de viagem, é que me senti em casa.
E cantando as músicas que tocavam no rádio, o diacho do sertanejo universitário =P.Aquilo é uma lavagem cerebral! hahahaha

Aventura

07 de maio de 2009.

Aguardamos na faixa, como dizem os gaúchos. Na beira do asfalto, no pé da fazenda era onde passaria o ônibus pra São Miguel.
Quando compramos a passagem é que nos demos conta de que seriam 14 horas de viagem de ônibus.
Já tínhamos ligado pro meu primo contando da nossa chegada, não tinha mais como desistir.
Ainda pensamos em saltar em Cuiabá e desistir, mas ainda bem que não o fizemos.

O taxista não sabia aonde era a nossa parada, o Assentamento Campanário.
Pra quem não sabe, assentamentos são as áreas rurais cedidas pelo governo aos militantes do MST que tem pré-requisitos para nelas trabalhar, como resultado da Reforma Agrária que foi empreendida no país.
Meu tio é um desses ex-militantes que receberam terras por um valor simbólico, valor este que ele mesmo ainda não acabou de pagar.
Nos 14 km que separam a cidade de São Gabriel d'Oeste do assentamento, vi emas comendo insetos no meio do milharal. Achei aquilo impressionante, mas não consegui tirar fotos, passamos muito rápido e o meu deslumbramento foi muito grande =/
Ainda perguntei ao taxista se elas ficavam soltas mesmo por ali.
Meu primo depois confirmou que sim e que ás vezes é perigoso andar pela BR 163, onde estávamos, porque elas andam em bando e se uma se separa, corre na direção do bando sem se importar com o movimento na estrada, que é intenso, especialmente nas épocas de feriados e festas.
O taxista nos deixou na beira da estrada e meu primo veio nos buscar. Eu ria da minha mãe, num vestido longo e muito colorido, fugindo de um abelha quando meu primo chegou.

***

As terras cedidas pelo Estado aos assentados são inalienáveis.
No entanto, muita gente faz uma espécie de doação das terras no INCRA e o dinheiro passa por debaixo dos panos.
Isso acontece muito e provavelmente com a ciência do INCRA.
Mas isso meu tio não quer fazer. Ali ele planta mandioca, abóbora, moranga e bananas.Ele é feliz ali.
É impressionante como nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul qualquer coisa que se plante produz.
Até agora, as coisas mais lindas que já vi por aqui além das planícies sem-fim foram as plantações de algodão e girassol.
Dói, no entanto, saber que muito foi desmatado para que essas plantações existissem.
Talvez por isso o governo agora quer que os assentados reservem 20% de suas propriedades para área de preservação ambiental.
Isso dá 4 hectares para meu tio, que não poderá cercar a área e nem produzir nada ali. As mudas serão cedidas pelo governo e serão somente de árvores nativas.
Meu primo diz que é ruim perder área de produção, mas que isso é uma boa iniciativa. Concordo, Neuri.